Receitas com cerveja

Cerveja artesanal para harmonizar com a Páscoa

23 de março de 2016
Potencializar o sabor da cerveja com o chocolate é uma ótima opção para os amates do malte.

Ninguém dúvida que a cerveja artesanal combina com a comida, principalmente em eventos especiais como a Semana Santa, momento onde se reúne a família e os amigos. Etimologicamente, o termo Páscoa se originou a partir do latim Pascha, que por sua vez, deriva do hebraico Pessach / Pesach, que significa “a passagem”.

Para celebrar este rito tradicional da nossa cultura, existem várias opções de harmonizações entre os pratos típicos da data e as cervejas artesanais.

Para quem gosta de um filé de peixe assado (veja a receita neste link),  a sugestão é  servi-lo acompanhado de uma Witbier, neste caso a Amazon Taperebá. Trata-se de uma cerveja artesanal de trigo do estilo belga, com temperos e cerais não maltados. Este rótulo em específico, contém a cajá-manga, uma fruta típica do norte do País que fornece uma boa acidez, além do paladar vegetal/cítrico. Quando for consumir a  Amazon Taperebá, certifique-se que a cerveja artesanal esteja entre 4º e 5º C, a temperatura é importante porque altera a experiência degustativa.  Vale lembrar que é uma cerveja leve, com grande drinkability, possui 4,7% de álcool e o copo ideal é o tumbler.

Já para quem optar pelo camarão na moranga ( veja a receita neste link) a dica é  uma Fruit Ale que combina  muito bem com  o prato. SchofferhoferGrapefruit Hefeweizen é uma ótima representante do estilo.  O rótulo possui um aroma acentuado de suco de fruta (grapefruit) e limão. O sabor possui um amargor moderado, leve presença de trigo e o final doce, com resquícios amargos como os encontrados em um suco de laranja natural.

O ideal é que a cerveja seja consumida entre 0º 4º C e no copo tumbler,

O tradicional bacalhau a portuguesa (receita neste link) harmoniza muito bem com  a DUM Grand Crua cerveja artesanalpossui um  perfil frutado, alcoólico, médio amargor e alta carbonatação como as do estilo Tripel. Para quem não sabe, o rótulo foi desenvolvido para ser uma belga de trigo,  porém com mais corpo e álcool que uma Wit, chegando próximo a uma Weisenbock belga. Na produção foi utilizado o fermento clássico das belgas de trigo e por isso a graduação alcoólica chegou à 9%. A receita base foi a Witbier caseira da DUM por isso a cerveja artesanal se enquadra numa Double Wit.

Chocolates

Branco: Uma boa opção neste caso, é explorar o estilo Fruit Beer – as cervejas são produzidas à base de frutas, por isso refletem as cores e demais características da fruta utilizada na receita. A nossa dica é explorar um rótulo com adição de frutas vermelhas, porque a cerveja artesanal irá quebrar a doçura do chocolate harmonizará perfeitamente. A belga Lindemans Kriek com 3,5% de álcool é uma ótima escolha.

Ao leite: para acompanhar este tipo de chocolate o ideal é Mark the Shadow. O rótulo é uma Oatmeal Stout, o estilo contém aveia para deixa-la mais encorpada.  Neste caso, a cerveja escolhida possui amargor médio, com 45 de IBU  e 6,5 % de álcool. Outra opção, seria investir em cervejas artesanais com  com perfil de torrefação, médio amargor, e médio corpo como as do estilo Robust Porter.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply