Curiosidades

“Mais Leve que o Ar”, o aventureiro Limonada prepara o lançamento épico de sua cerveja Lift Limone

31 de março de 2017
Cerveja Lift criada pelo Limonada

Depois de diversas andanças pelo Brasil e América do Sul, o aventureiro Flávio Cremonesi, mais conhecido como Limonada, está se dedicando a mais uma nova empreitada em sua vida: o lançamento de uma cerveja inspirada em suas aventuras. Limonada é personagem da série “Mais Leve que o Ar”, do canal Off, na qual ele explora diversos territórios a bordo de um balão com os parceiros Feodor Nenov e José Nelson Barretta.

Limonada é caipira de nascimento, caboclo de alma e caiçara na paixão, como ele mesmo costuma dizer. Sua vida profissional começou na maior floresta contínua do mundo, com quase 10 anos a bordo da Amazônia. Lá, foi atuante no manejo e certificação florestal FSC (Forest Stewardship Council). Além, aventurou-se em viagens intra-amazônicas de tirar o fôlego, como: 30 dias a bordo de um barco pelo rio Solimões; comunidades isoladas na floresta; subida numa torre na Amazônia, com 325 metros de altura num dos corações amazônicos, na Reserva do Uatumã, além dos inúmeros mergulhos nos rios amazônicos, entre outras histórias.

limonada-flavio-cremonesi-mais-leve-ar

Seu projeto mais recente é uma cerveja completamente inspirada na segunda temporada do programa “Mais Leve que o Ar”, que ainda não foi ao ar mas que teve como tema uma travessia que durou 60 dias pela América do Sul, de leste a oeste, sobrevoando de balão o Brasil, Argentina e Chile, passando pelos cânions nas serras gaúchas e catarinenses, a garganta do diabo, em Foz do Iguaçu (PR), o norte da Argentina no pantanal dos ‘hermanos’, a cordilheira dos Andes; o deserto do Atacama para finalmente chegar ao Pacífico, no litoral chileno.

Recentemente, Limonada se mudou para BH, onde está em contato com o meio cervejeiro da cidade. Sua decisão em se mudar para a capital mineira, depois de morar em outras 8 cidades brasileiras, se deve ao carinho que ele tem por esse estado, por sua cultura e povo acolhedor. Logo em seu primeiro dia na cidade, Limonada conheceu o Bar do Salomão, durante a transmissão de uma partida de futebol entre seu time de coração Palmeiras e o Galo, pelo Campeonato Brasileiro. A recepção foi das melhores, mesmo o Bar do Salomão sendo um reduto atleticano.

gravacao-mais-leve-ar

A cerveja Lift Limone, teve seu nome influenciado pelo apelido Limonada e é do estilo Farmhouse Ale, com doses de limão capeta e siciliano, além de algumas especiarias. A receita da cerveja ainda está em fase experimental e, por ser de produção caseira, ainda não está sendo comercializada. Os mestres da cerveja Lift são: Guilherme Fonseca e Henrique Mafra. Contudo, os preparativos para lançá-la no mercado estão a todo vapor. O aventureiro já está procurando alguma cervejaria para produzir sua cerveja, ao mesmo tempo em que ele já está preparando uma grande surpresa para esse lançamento, que ainda não tem data definida, mas que promete fazer com que todos “tirem os pés do chão”.

rotulo-cerveja-lift-limone

Lift são os ventos que batem na parede da montanha e levam tudo para cima! Limone, pela descendência italiana do ‘Limonada’. Aeronave preparada e autorizada para decolar! A razão de subida vai depender dos “passageiros” a bordo da cerveja Lift.

Confira abaixo nosso bate papo com o balonista, aventureiro e cervejeiro Limonada.

Price Beer – Em quanto tempo você completou a travessia entre o Atlântico e Pacífico? E o que você nos conta dessa experiência?

Limonada – A travessia entre os oceanos, no eixo leste/oeste (Brasil, Argentina e Chile) tiveram como pontos inicial e final, respectivamente, Torres (RS/BR) até Hornitos (Ch). Não foi uma viagem “comum”, pois, estávamos gravando para um programa de televisão e a escala temporal foi um pouco maior. Por volta de 60 dias a missão foi cumprida. No deserto do Atacama, no Chile, ficamos uns 20 dias, por ser um lugar incrível: o deserto em si, a cordilheira, vulcões, um céu incrivelmente lindo, tanto durante o dia e, em especial, a noite. Os parceiros da viagem foram Feodor Nenov e Nelson Bareta. A produtora foi a “Manjubinha Filmes”. E em abril entra na programação os episódios do “Mais Leve que o Ar” (temporada 2).

Além da viagem em si e toda a aventura a bordo; a grande essência foram as pessoas incríveis que conhecemos durante todos esses dias. Em Carlos Pellegrini, considerado o pantanal dos “hermanos” no interior da Argentina, fui convidado pra jogar bola com a molecada argentina. Foi sensacional a experiência, ainda mais pela rivalidade saudável que temos no futebol.

limonada-programa-mais-leve-ar

Price Beer – Você pretende lançar a sua cerveja comercialmente? Quando?

Limonada – Sim. O próximo passo é encontrar uma cervejaria que esteja disposta a colocar no mercado a cerveja Lift. Ainda não abrimos nenhuma negociação com cervejarias, mas é o próximo passo. Ainda sou um novato em Belo Horizonte, estou conhecendo as pessoas.

Price Beer – Existe alguma outra cerveja que você gostaria de elaborar?

Limonada – Claro. A cerveja artesanal é fantástica. Tem histórias a bordo. Desejo criar uma cerveja com os nomes dos meus filhos: cerveja “João & Maria”. Boas ideias e histórias vibrantes são os primeiros passos pra se construir uma marca de sucesso.

Amo cerveja. Tenho uma conexão forte de uma vida toda. Voltando a falar da viagem entre os oceanos, num dos voos em Tafi del Valle (Argentina), há 2 mil metros de altitude, na cordilheira e pré deserto do Atacama, fizemos um voo incrível. Na volta para a pousada, tivemos que esperar 4 horas numa estrada de terra, pois estava acontecendo um rally com motos e carros. No mesmo momento encontrei uma casa bem pequena que vendia cervejas. Fiquei apreciando o rally com uma(s) cerveja(s). É a bebida da felicidade para comemorar grandes feitos e um grande processo de interação para conhecer novas pessoas com histórias incríveis!

Price Beer – Devido ao tempo que você morou na Amazônia, você pretende fazer alguma cerveja que leve algum ingrediente amazônico?

Limonada – Positivo. Inclusive, já está chegando uma carga da Amazônia que alguns amigos de lá me enviaram. O “jambu”, o “camu camu”, a “preciosa”, o “pau rosa”, a “andiroba”, a “copaíba” são alguns produtos que irei jogar na mão dos cervejeiros Guilherme Fonseca e Henrique Mafra (criadores da receita da cerveja Lift Limone), para colocarem as “alquimias” em prática.

Outro produto florestal que estou trazendo é a “cataia”, uma folha da Mata Atlântica. Em especial a Amazônia, é uma região de grande importância no Brasil e no mundo. Então, como os brasileiros pouco conhecem o real significado da Amazônia, a cerveja poderá ser uma forma de conectar os brasileiros com a maior floresta contínua do mundo. Inclusive, no passado escrevi um artigo para a revista “Arquitetura e Urbanismo” chamado “Será que o Brasil nunca viu a Amazônia?”, sobre o uso da madeira tropical com garantia de origem.

Price Beer – Certa vez você nos contou que pretende abrir um bar com um balcão aconchegante. Esse bar teria relação com cervejas artesanais ou algum outro tema específico?

Limonada – O balcão é um espaço favorável para que as pessoas se descubram. Lá é possível saber de onde as pessoas vieram, pra onde elas vão e o que fazem. A cerveja será o “carro chefe”, mas, como tudo na vida é um processo, ainda estou encontrando outras pessoas pra embarcarem nessa. Já tenho até o nome do bar “CCC” (cerveja, café e cachaça). São as 3 bebidas da felicidade!

Para quem ainda não é sócio do Price Beer, a Lift está oferecendo um mês de assinatura grátis. Basta baixar o app (download aqui), se cadastrar utilizando o código promocional LIFT e começar a usar.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply