Cerveja

Sour Beer: o que são essas cervejas?

12 de abril de 2017
Cerveja Sour Beer

Já faz tempo que a febre das cervejas lupuladas se espalhou pelo Brasil e isso é inegável. São milhares de consumidores que viraram fãs incondicionais das cervejas que usam o lúpulo como a principal estrela das suas receitas, a exemplo das India Pale Ale (IPA). E apesar de todo o rebuliço que essas cervejas causaram por aqui, elas estão vendo o seu reinado ser incomodado por uma outra febre que se espalha com uma velocidade incrível: as Sour Beer, que  são cervejas ácidas, pouco amargas e muito refrescante, tendo aromas e sabores frutados em sua maioria.

As Sour Beer são muito comuns na Bélgica e são amplamente consumidas por lá. A cidade de Bruxelas, capital do país, é lar da mais icônica cervejaria a produzir cervejas ácidas, a Brasserie Cantillon, famosa pelas fermentações em tanques abertos. Mas não só esse tipo de cerveja pode ser considerado Sour, já que existem muitos outros estilos de cervejas que são marcantes por sua acidez, utilizando diferentes métodos de produção para deixarem elas azedas.

FERMENTAÇÃO EXPONTÂNEA OU CERVEJAS LAMBIC

A exemplo da Cantillon, existem várias outras cervejarias na Bélgica que fermentam suas cervejas em tanques abertos, as quais acabam passando por um processo conhecido como fermentação expontânea. Essas cervejas são chamadas de Lambic e possuem uma acidez acentuada devido à presença de bactérias que acabam caindo dentro dos tanques durante a sua fermentação. Geralmente as Lambic levam uma grande adição de frutas para atenuar um pouco a acidez e com isso acabam recebendo a denominação de Fruit Lambic.

Dentre as cervejas Lambic, existem aquelas que são maturadas em barris de madeira por vários anos e que depois são misturadas com lotes que passaram por um tempo de maturação menor. O resultado são cervejas com forte presença de aromas e sabores provenientes da madeira, aliados ao frescor das cervejas mais jovens. Tais cervejas são conhecidas como Geuze.

FLANDERS RED ALE

As Flanders Red Ale são cervejas produzidas em duas etapas, sendo a primeira por métodos tradicionais, da brassagem à maturação em tanques convencionais. Porém, após estarem prontas na primeira etapa, elas são refermentadas e maturadas em barris de carvalho, os quais possuem uma flora natural de bactérias láticas, acéticas e leveduras selvagens. Essa flora contribue para que a cerveja se torne ácida e com aromas marcantes de frutas vermelhas, madeira, vinho do porto, frutas-passa, notas acéticas e láticas.

São cervejas muito complexas, bastante ácidas e muito refrescantes.

Uma variação desse estilo são as Oud Bruin, que têm um processo de produção semelhante às Flanders Red Ale, mas sem passar por refermentação e maturação em barris de carvalho. Sua acidez surge após o longo tempo de maturação que ela passa nos tanques, além dos vários meses de maturação depois de engarrafadas e é proveniente da pequena presença de bactérias residuais encontradas nesses recipientes.

Sour Beer Rodenbach Grand Cru.

Rodenbach Grand Cru. Sour Beer clássica do norte da Bélgica.
foto: Divulgação.

CERVEJAS SALGADAS – GOSE

As cervejas Gose são um estilo muito antigo que havia quase desaparecido, tendo sido produzido durante séculos em pequenas quantidades, com receitas familiares passadas de geração em geração.

São tradicionais da região de Leipzieg, cidade alemã onde as fontes de água são bastante salobras, o que deixa a cerveja um pouco salgada, o que é bem diferente do que estamos acostumados a beber por aqui.

Elas são produzidas com maltes de cevada e trigo, sendo que muitas delas levam a adição de lactobacilos antes de sua primeira fermentação por leveduras. Sendo assim, tal processo as torna ácidas.

É comum que muitas delas levem sementes de coentro em sua maturação, dando um toque mais temperado ao aroma e sabor final.

Gose Sour Beer

Uma Sour Beer famosa por também ser salgada.
foto: Divulgação.

BERLINER WEISSE

Consideradas o Champanhe do Norte por Napoleão Bonaparte, as Berliner Weisse são cervejas de trigo que recebem adição de lactobacilos antes de sua fermentação.

Quando as tropas de Napoleão invadiram Berlim e se depararam com um cenário onde a produção de vinho era escassa, a alternativa encontrada pelo seu exército para suprir as suas necessidades etílicas foi se entregar às cervejas locais. Como as Berliner Weisse eram as mais produzidas na região, elas eram as mais disponíveis para o consumo. Porém, seu sabor ácido não agradava a todos e para aliviar um pouco a acidez, muitos começaram a adicionar xaropes de frutas e ervas, o que acontece até hoje.

Hoje em dia, a produção dessas cervejas é protegida geograficamente, sendo que elas só podem ser produzidas em Berlim, por cervejarias certificadas. Na prática, vemos um cenário diferente disso, onde muitas cervejarias produzem e comercializam Berliner Weisse sem nenhum respeito a essa regra.

Cerveja de trigo Berliner Weisse Sour Beer

foto: Divulgação.

LICHTENHAINER

Outro estilo histórico cuja produção estava quase extinta, mas que voltou à tona atraindo vários entusiastas nos últimos anos.

As Lichtenhainer são tradicionais da região de Lichtenhain, na Alemanha central. Seu sabor é marcado por notas lácticas, com leve acidez, muito semelhante às notas encontradas nas Berliner Weisse. Outra característica marcante são os aromas e sabores de defumação, provenientes do uso de maltes defumados em sua fabricação.

São feitas de malte de cevada e trigo e são bastante refrescantes, pouco amargas e leves, o que proporciona a elas um alto drinkability, inclusive pela sua graduação alcoólica que raramente ultrapassa os 4,5% ABV.

FRUIT BEER

Fruit Beer não é um estilo propriamente dito, mas uma categoria onde se encontram todas as cervejas que levam fruta em sua produção.

Muitas dessas cervejas nem mesmo são ácidas, mas é bem comum ver pessoas associando Fruit Beer às Sour Beer. Talvez isso aconteça pelo fato de muitas Lambic serem comercializadas como Fruit Beer, uma vez que existem vários rótulos que recebem adição de frutas como cereja, morango e framboesa, sendo que muitas dessas acabam apresentando um leve dulçor em seu sabor.

Algumas Fruit Beer nem mesmo são doces ou apresentam qualquer acidez, sendo extremamente secas, como é o caso da Banana Bread da cervejaria Wells.

Outras como as cervejas da linha Sour Me Not da brasileira Way Beer são bastante ácidas. Existem três rótulos dessa linha, cada um com adição de uma fruta diferente (acerola, morango e graviola). Sua acidez se deve principalmente pela adição de bactérias láticas na fermentação, porém, as próprias frutas contribuem para tal, apesar destas não conferirem nenhum dulçor às cervejas.

Sour Beer Sour me not

foto: Divulgação.

Contudo, existem Fruit Beers que têm sua acidez derivada apenas da presença de frutas ácidas, sem que haja nenhuma interferência de bactérias na fermentação, ou adição de algum outro ingrediente ácido. Esse é o caso da Julieta da cervejaria mineira Backer, que leva morangos em sua receita, conferindo à cerveja um equilíbrio entre o dulçor da fruta, o dulçor do malte e sua acidez.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply